Teoria Contábil

Teoria Contábil "Conjunto de principios da ciência da contabilidade positivados pela Doutrina, ou seja, opiniões sistematizadas por conjuntos de informações que tem por objeto o conhecimento cientifico, visando explicar os seus condicionamentos, sejam eles tecnológicos, históricos, linguisticos ou sociais." -- Moderno Dicionario Contábil da Retaguarda à Vanguarda -- Hoog Zappa --

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Evolução Histórica da Contabilidade


Principais Escolas e Fundamentos.

Escola da Contabilidade - de acordo com Calderelli, são as doutrinas de varias correntes contábeis, surgidas a parti do ano de 1494, quando foi dado ao mundo o trabalho exposto por Frei Luca Pacciollo “Tractatus de computis et Scripturis”, que versou sobre os princípios das partidas dobradas.
Em 1586 Ângelo Pietro formulou a primeira metodologia conceitual da Teoria Contábil, passando pelo surgimento das escolas de pensamentos científicos representadas pelo Contismo, Personalismo, Controlismo, Aziendalismo e enfim o Patrimonialismo.
O que diferencia as cincos correntes cientificas mencionadas acima é a determinação do objeto de estudos da contabilidade.
Conhecendo as Escolas
Contismo, o objeto de estudos da Contabilidade era a conta, ou seja, a preocupação central era o registro dos direitos e das obrigações. Entre os pensadores contistas, Edmundo Degranges expos em 1975, a teoria das cinco contas: mercadorias, dinheiro, efeitos a receber, efeitos a pagar, e lucros e perdas.
Personalista, surge com a publicação da obra “La ragioneria scientifica e le sue relazioni com le discipline amministrative e sociali” autor (militar Italiano) Giuseppe Cerboni, em 1886. A partir desse momento, a Contabilidade passa a preocupar com as variações da riqueza e a considerar o patrimônio como conjunto de direitos e obrigações. Esta escola domina o pensamento contábil durante o século XIX.
Controlismo, em 1909 Fabio Besta publica a obra “La ragioneria” sua filosofia entende como objeto de estudo da contabilidade o controle da riqueza patrimonial. Para Besta a administração econômica de uma empresa abrangia sua administração e controle, e a Contabilidade era entendida como sendo a ciência do controle econômico.
Aziendalismo, em 1926 na Itália Gino Zappa apresentou uma nova possibilidade de estudar uma empresa que se chamaria Aziendalismo. A ideia principal dessa escola consistia em destacar que os registros e as demonstrações contábeis representavam apenas um instrumento para registrar fatos ocorridos no patrimônio, devendo ser complementados com informações adicionais, tais como as qualitativas, o grau de satisfação do cliente, entre outras. Zappa propôs uma nova classificação das contas patrimoniais e de resultado.
Patrimonialista, o precursor dessa escola foi Vincenzo Masi. Segundo ele, a idéia principal do patrimonialismo é que o patrimônio é objeto de estudo da Contabilidade e seu estudo compreende o equilíbrio do patrimônio de uma determinada entidade. Este pensamento contábil é observado atualmente para efeito de classificação das contas contábeis.
E relevante lembrar que essas não foram às únicas escolas ou doutrinas de correntes contábeis, mais o objetivo desse artigo é refletir sobre a evolução dessa ciência e que se ignorarmos esses conhecimentos teóricos não haverá possibilidade de nos adaptamos aos novos paradigmas que surge dentro da Contabilidade.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Epistemologia contábil

Epistemologia - do gr. epistéme, ‘ciência’; ‘conhecimento’, + o + logia. Conjunto de conhecimentos que têm por objeto o conhecimento científico, visando a explicar os seus condicionamentos.

Em 1836 a Academia de Ciências da França entendeu que a Contabilidade era uma ciência social. Apesar de utilizar métodos quantitativos, não se constitui em uma ciência exata, ou matemática, pois se ocupa de fatos decorrentes da ação humana.

Para podermos perceber o que torna a Contabilidade uma ciência social aplicada a Academia de Ciências da França analisou os requisitos para classificação de uma ciência.

1.Objeto de estudo próprio: a Contabilidade se ocupa do estudo do patrimônio de uma determinada organização;
2.Estuda fenômenos com precisão: a Contabilidade trabalha com análise da liquidez, retorno do investimento etc.;
3.Possui metodologia própria: a Contabilidade utiliza os métodos fenomenológico e indutivo;
4.Permite projeções: a Contabilidade executa orçamentos de vendas, produção, custos, etc.;
5.Possui teorias próprias: na Contabilidade temos a teoria Aziendas, teoria do lucro, teoria da liquidez, etc.;
6.Possuem correntes doutrinarias: na Contabilidade temos contismo, personalismo, aziendalismo, controlismo, patrimonialismo e etc.

De modo que em 1836, Coffy, da Academia de Ciências da França reconhece o caráter social da Contabilidade, afirmando que seus métodos possuem uma verdadeira importância social. Para Sá* (1999) “o homem em sociedade, o patrimônio do homem a serviço dele, o patrimônio do homem a serviço da sociedade parecem ser fortes conexões que alimentam uma justa classificação dos estudos contábeis no campo social”.

* (Prof. Antonio Lopes de Sá: Mineiro e importante pesquisador no campo da ciência contábil).

CONHECENDO AS TEORIAS

São inúmeras teorias que precisam de estudos cuidadosos para nossa evolução contábil. Com o intuito de contribuir para essa evolução o blog passará a publicar uma série de artigos intitulados “CONHECENDO AS TEORIAS”. Não haverá uma ordem especifica para as publicações dos artigos, mais é relevante lembrar que os artigos dessa série serão publicados sempre do ponto de vista teórico qualquer outro aspecto não teórico que se julgar relevante será publicados em artigos alheios para esclarecimento adicional.

Vídeos - Teoria da Contabilidade

Loading...